quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Mulher é espancada quando tentava ocultar corpo de companheira na Canal

Uma mulher identifica como Tais Fortunado dos Santos, 20 anos foi espancada por populares na tarde desta quarta-feira (28), por volta das 15 horas, quando tentava transportar o corpo da jovem Taiuri Silva de Araujo, 20 anos, em cima de uma carroça na Avenida de Canal no bairro Rua Nova, nas proximidades dos fundos do Centro de Abastecimento.

Segundo informações de moradores da localidade conhecida como Beira Riacho, Tais teria assassinado a companheira Taiuri com dezenas de golpes de faca, no interior da residência onde conviviam. Moradores contaram também, que o crime foi por volta do meio dia e a acusada (Tais) teve ajuda de dois rapazes identificados como Danilo e Jau.

Policiais do Moto-Centro da 64ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) foram acionados e de imediato chegou ao local. “Assim que chegamos, encontramos esse corpo sobre esse resto de cama em cima da carroça, a acusada caída ensanguentada próximo da carroça. As pessoas informaram que a acusada (Tais) convivia com a vitima (Taiuri) e no dia de hoje, Tais teria matado a companheira com vários golpes de faca”.

“Sendo que, quando tentava transporta o corpo em cima da carroça, ainda na frente da casa onde tudo começou, um mototaxista passou e percebeu o corpo dentro da carroça. Moradores se revoltaram e agrediram a acusada com socos e pontapés. Moradores também afirmaram que um homem ainda desconhecido, se aproximou e efetuou tiros em direção a acusada”.

Mas, funcionários do HGCA, contou que a mesma não chegou a ser baleada e sim espancada. O SAMU socorreu até o Hospital Geral Cleriston Andrade (HGCA), enquanto o atirador fugiu tomando rumo ignorado”, frisou o policial Kruchewsky.

INVESTIGAÇÃO

Policiais do Serviço de Investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), juntamente com peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), sob o comando do delegado Carlos Lins compareceram ao local, onde realizaram o levantamento cadavérico e iniciaram as primeiras investigações.

O delegado Carlos Lins , já iniciamos a investigação, uma equipe já se deslocou para o HGCA, onde vai apura o estado de saúde da acusada, dependendo a mesma já vai ser autuada em flagrante por homicídio. “As informações que obtemos aqui, foi que a vitima convivia com a acusada, provavelmente um crime passional e moradores daqui (Beira Riacho), contaram que aconteceu uma briga no interior da casa, onde estava a vitima, a acusada e mais dois rapazes”, explicou Carlos Lins.   

TORTURA

Um morador do Beira Riacho que não quis ser identificado, afirmou para reportagem que, provavelmente a vitima foi torturada antes de morrer, já que horas antes, ouviram barulho na casa durante muito tempo. “Eu não morro próximo do acontecido, mas passei na frente da casa, quando ouvir um grito pedindo socorro. voltei e fiquei querendo saber mais, não ouvir mais o grito, mas o barulho tipo de briga continuava”, indagou o morador.

Policiais que acompanharam o levantamento cadavérico acreditam que a vitima foi torturada antes, já que tinha várias marcas de faca em todo o corpo de Taiuri, parecendo que pegaram a faca e ficaram pinicando em todo o corpo.  


O corpo de Taiuri foi encaminhado ao DPT, onde será feito a necropsia. Duas facas encontradas com sangue dentro da casa foi levada para delegacia.

Nenhum comentário: