quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

MPT vai apurar morte de operário na obra da Calamar



O Ministério Público do Trabalho (MPT-BA) instaurou um inquérito civil nesta quarta-feira (8), para apurar a morte do trabalhador que ficou soterrado após deslizamento de terra em uma obra em Feira de Santana, a 100 km de Salvador, na terça-feira (7). O operário Ricardo Santos Conceição, de 22 anos, já tinha seis meses na empresa e fazia o serviço na obra de drenagem ao lado de mais três colegas.


De acordo com o Corpo de Bombeiros, o operário estava arrumando uma manilha em um buraco quando houve o deslizamento de terra de uma vala aberta por uma máquina escavadeira. O corpo dele foi resgatado após cerca de oito horas de trabalho de agentes do Corpo de Bombeiros. O MPT afirma que a obra de drenagem foi contratada pela Prefeitura de Feira de Santana.

Através de nota, o Ministério Público do Trabalho informou que deverá "solicitar nos próximos dias informações dos órgãos que fizeram as primeiras inspeções no local da tragédia". Segundo o MP, o objetivo da ação é avaliar se houve omissões ou falhas nos procedimentos de segurança.

O Ministério Público afirma também que representantes da empresa em que o funcionário estava a serviço deverão ser convocados para prestar esclarecimentos. Segundo o MPT, um outro operário que também estava presente no momento do deslizamento, conseguiu sobreviver e sofreu ferimentos leves.


Na nota enviada à imprensa, o Ministério Público ainda cita dados do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e da Madeira da Bahia (Sintracom-BA), de 2013, quando foram regisrados 132 acidentes envolvendo trabalhadores em canteiros de obras em todo o estado. "Destes, 48 quedas, dez acidentes em consequência do manuseio de materiais, setes choques elétricos, três soterramentos e três relacionados a veículos. Outros 61 foram ocasionados por outros motivos", informou o MP.


As informações são do G1 BA .

Nenhum comentário: