quarta-feira, 4 de julho de 2012

Parabens: DH elucida 88% dos crimes ocorridos no mês de junho

O Serviço de Investigação da Delegacia de Homicídio (DH), comandado pela delegada Milena Calmon, elucidou 88% dos homicídios registrados em junho deste ano – de um total de 32 crimes, 28 foram elucidados. O coordenador Ricardo Brito disse para a reportagem que o número de elucidações está no patamar de “ótimo”, uma vez que a ONU (Organizações das Nações Unidas) afirma que a média de elucidações de homicídios é de 13%.

“Salvador está com 30%, enquanto em Feira estamos chegando à marca de mais de 50% das elucidações dos homicídios. Aqui, melhoramos essa marca depois da instalação da Delegacia de Homicídio, em abril deste ano. Dos 32 homicídios, a DH remeteu para a Justiça 28 inquéritos policiais informando os autores dos crimes”, disse Brito.

Ele também reiterou que, “além de nossas obrigações, trabalhamos em apoio com a Polícia Militar nos finais de semana, através da Operação Visão Noturna, na segurança ostensiva”. O coordenador informa que operação é mais para investigar de perto as denúncias anônimas que acontecem durante a semana, sobre tráfico de drogas e outros crimes.

O delegado também afirmou que o aumento no número de homicídios no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado deve-se à greve da PM, em fevereiro. “Em fevereiro do ano passado, registramos 11 homicídios, enquanto em fevereiro deste ano aconteceram 59. Mas, de novembro do ano passado para cá, conseguimos baixar todos os meses”.

LAUDO

A demora dos laudos dos homicídios realizados pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) atrapalha os pedidos de prisões dos acusados que cometem os crimes, uma vez que o Juiz Gustavo Hungria presidente da Vara de Execuções Penais recebe apenas os inquéritos que estiveram acompanhados com os laudos dos homicídios.

“Estamos concluindo os inquéritos, informando os autores dos crimes, mas as prisões preventivas ou temporárias não estão saindo, pois o juiz só recebe inquéritos com os laudos”.

Ainda de acordo com a polícia, o DPT disponibiliza de pouca estrutura para concluir seus trabalhos. “Não tem um digitador para concluir os laudos, embora existam dezenas e dezenas de laudos para serem concluídos e remetidos à Justiça”.

Impunidade

Um investigador da Polícia Civil da Bahia, que não quis ser identificado, afirmou que enquanto a impunidade para os criminosos estiver rondando a nossa sociedade, a tendência é aumentar os números de crimes, principalmente homicídio.

“Praticamente todas as pessoas que pretendem cometer um crime já estão escoladas, sabem que não vai dar em nada. Até os que são presos em flagrante praticam o crime com a defesa na ponta da língua, sempre usam ‘matei ele porque ele tentou me matar, ou disse que iria me matar, aí resolvi matar ele primeiro’. É o que sempre ouvimos aqui dos criminosos”, disse o investigador.

2 comentários:

mara disse...

meu filho foi assasinado no mes de outubro de 2010 atéo momento nada por que sera.

Anônimo disse...

o que adianta isso se os assasinos estão soltos para cometer mais crimes.