quarta-feira, 11 de julho de 2012

Apresentados dois assassinos do morador de rua

O traficante Gustavo Silva dos Santos, um dos criminosos que jogou gasolina sobre o morador de rua Daniel Pinto dos Santos, 26 anos, e o primo Moisés da Silva Santos – que, ao acender um isqueiro, queimou 60% do corpo da vítima – foram apresentados à imprensa, na tarde desta terça-feira (10), durante uma coletiva, no auditório do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba.

Jadson Santos Dórea, primo da dupla, e Franklin Nascimento Pires, que também lançou o combustível sobre Daniel, seguem internados no Hospital Geral do Estado (HGE), onde procuraram atendimento médico, com várias queimaduras, ainda na madrugada do último sábado, dia 7, logo após a execução do delito.

A delegada Francineide Moura, coordenadora das Delegacias de Homicídio, conduziu a apresentação dos criminosos, cujas prisões preventivas foram solicitadas à Justiça pela delegada Dalva Cardoso, titular da 3ª Delegacia de Homicídios (Baía de Todos os Santos) e presidente do inquérito. Ela, que ainda representou pelas prisões de Jadson e Franklin, informou que Gustavo e Moisés ficarão custodiados no Complexo Policial da Baixa do Fiscal, para onde seus cúmplices também serão encaminhados, após liberados do HGE.

Interrogados no hospital pela delegada Dalva Cardoso, na segunda-feira, Franklin e Jadson confessaram participações no assassinato do morador de rua, atacado enquanto dormia, numa via pública no centro da cidade. Com mais da metade do corpo queimado, ele acabou morrendo no domingo (8) no HGE e sepultado no dia seguinte, no cemitério da Quinta dos Lázaros.

Morador do Alto do Gantois, Gustavo, que planejou o crime, foi preso na noite de segunda-feira, por policiais militares e investigadores do DHPP, na casa de uma irmã, no bairro de Cajazeiras. Franklin e Jadson declararam no interrogatório que o objetivo do traficante era se vingar de um morador de rua que, na terça-feira da semana passada (3), teria roubado um aparelho celular pertencente a sua mãe e que estava com ele.

Mesmo não reconhecendo Daniel como o autor do roubo, Gustavo decidiu eliminá-lo. Ele e Franklin jogaram gasolina sobre a vítima e Moisés ateou fogo, com um isqueiro. Residente do Engenho Velho da Federação, Moisés da Silva Santos se apresentou na 7ª Delegacia Territorial (Rio Vermelho), na manhã desta terça-feira, sendo encaminhado ao DHPP.

Fonte: SSP-BA

Um comentário:

vareta disse...

O trio infernal foi dedurado por um X-9 que bateu o fio para o Disque-Denúncia O sócio do capeta quis dar baratino nos PM mais a casa caiu filho do cao era bom que vcs passase 40 ano na casa de pedra o pau comeu pra cima de um trio de uruvangos que tocou o terror agora o fumo entro de conforca como e que mata um pobre coitado que mora na rua esses cara sao filho do capeta