quinta-feira, 24 de maio de 2012

Crianças fogem de casa com medo da mãe e procuram abrigo em creche


Na tarde de ontem (24), o Conselho Tutelar encaminhou duas crianças, de 12 e 08 anos, até o Complexo Policial Investigador Bandeira, juntamente com José Felino de Jesus e Jucicleide Santos Silva, 36, pais das crianças. Na delegacia, a representante do Conselho Tutelar contou para a reportagem que recebeu a denúncia através da Creche Tio Jonas, localizadas no bairro Conceição. “Fugi porque não aguento mais ser espancada e ver meu irmãozinho de 08 anos, também, ser espancado pela minha própria mãe. Eu não quero mais voltar para minha casa, ela bate muito na gente”, contou, emocionada, uma garota de 12 anos.Ainda de acordo com a conselheira tutelar que não quis ser identificada, contou que as crianças não agüentavam mais de serem espancada. “Elas mesmos que tomaram iniciativas de nos procura, já que não sabiam como chegar até a nos (Conselho Tutelar), a de 12 anos, fugiu de casa, levando uma das palmatória que a mãe espancava e procurou a Creche Tio Jonas, onde relatou todo o fato”.




A conselheira afirmou ainda que, “depois que a criança relatou o fato, a diretoria da Creche, onde os diretores da creche, entraram em contato conosco e seguimos para o local, depois entramos em contato com os pais e resolvemos trazer todos a delegacia para esclarecer os fatos, já que a mãe negava e os filhos afirmavam”.

SOFRIMENTO

A criança de 12 anos contou para nossa reportagem, que há muito tempo, ela e o irmãozinho de 08 anos vinham sendo espancado pela própria mãe. “Ela batia muito em nos, depois jogava agente no chão, pisoteava e quando agente sangrava muito ela jogava água e sal, para o sangue parar (estancar) e também para o povo não ver as marcas, pois, eu não quero mais voltar para casa, não quero mais morar com ela”.

A criança de 08 anos contou para reportagem que a mãe também batia muito nele, no momento da reportagem, a criança mostrou as palmas das mãos, para nossa reportagem, falando “aqui, ela batia na minha mão, com aquele pau (palmatória), mas agora, ela não vai bater mais não”.

A garotinha contou ainda que, além dos espancamentos, a mãe também os abandonavam sopzinhos na casa e demorava para retornar. “Pois, tinha dia de domingo que ela saia e chegava tarde da noite, como mora eu, meu irmão de 08 e outro de 14, mas esse de 14, trabalha e sempre eu e o de 08 ficávamos sozinho”.

O pedreiro Filino de Jesus Souza contou que não convive mais com Jucicleide, são separados. “Eu moro no Campo do Gado, mas sempre dou assistências aos meus filhos, dou a pensão todos os meses, mas não sabia, desse fato, eu acho muito difícil, a mãe deles fazer isso, mas como eles estão dizendo, vamos fazer o que”.

A diarista Jucicleide negou as denuncia, ela afirma que não batia nos filhos e nem deixavam os abandonados. “Não sei, os motivos, que meus filhos estão falando isso de mim, essa palmatória existe lá em casa, bem antes de eles nascerem, mas não adianta nada eu falar aqui, que vocês não vão acreditar mesmo, vocês estão acreditando nas crianças, mas eu não fazia isso com meus filhos”.

Na delegacia, as crianças afirmaram tudo, que a mãe praticava espaçamentos e os abandonavam. Até o fechamento desta edição, a diarista Jucicleide ainda prestava esclarecimento na delegacia.

8 comentários:

Adrian Pires disse...

Olha para cara da Indivídua!

Anônimo disse...

Se a mãe não bater a Polícia vai ter que matar! e aí?
Já apanhei muito de meus pais e nem por isso estou traumatizado isso e aquilo, isso é conversinha de ministerio público e direitos humanos!

Anônimo disse...

ja apanhei muito da minha mae e nem porisso apoio esse tipo de crueldade,e sao crianças nao sao bicho...

mirity my love disse...

bater sim e não espancar. Por isso que estão tudo ousado aí... quando fazem 12 anos querem sair de casa. eu não entendo, a policia espanca que não é nada e os pais que botaram no mundo não pode bater... vai entender...

mirity my love disse...

bater sim e não espancar. Por isso que estão tudo ousado aí... quando fazem 12 anos querem sair de casa. eu não entendo, a policia espanca que não é nada e os pais que botaram no mundo não pode bater... vai entender...

Murillo disse...

Bater pra dar correção e educação é uma coisa, mas espancar por motivos injustificáveis é outra completamente diferente, já apanhei quando criança pra ter correção em minha vida para não ir pelo caminho mais facil, mas sempre com um bom diálogo e educação... Amanhã essas crianças serão pais e mães de família e levaram com eles esta triste lembrança podendo assim os mesmos espancar os filhos por que essa monstro que se diz mãe não teve amor para com eles

Anônimo disse...

se nao apanhar em casa pra aprender a policia ensina de um jeito que depois ao da pra aplicar o que aprendeu.. kkkkkkkkk

Anônimo disse...

vamo ver isso pq criança nem sempre falar a verdade pense nisso