quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Vigilante é assassinado na porta de colégio quando pegava filha

O vigilante Josuel Pinheiro da Silva, 37 anos, que residia no bairro Ponto Central foi assassinado com quatro tiros de pistola, no final da manhã de ontem (14), por volta de 11h10, na frente do Colégio Padre Vieira, localizado na Rua 1º de Maio, no bairro São João (Antigo Campo do Gado Velho), nas proximidades do Mercantil Rodrigues.


Segundo informações de uma testemunha que não quis ser identificada, disse que, Josuel parou sua motocicleta do outro lado da rua, atravessou e ficou embaixo da arvore na frente da escola, aguardando sua filha.

“Minutos depois, se aproximou dois homens em uma motocicleta Honda Titan de cor preta, parou um pouco a frente da motocicleta da vitima, o carona desceu com uma caixa na mão, seguiu em direção ao vigilante e ao se aproximar, pegou a arma de dentro da caixa e deflagrou vários tiros, acertando a cabeça e tórax”.


“Friamente, o assassino, colocou a arma na cintura, montou na motocicleta e fugiu em direção a Avenida João Durval Carneiro. Eu estava dentro do meu carro, mais ou menos uns 30 a 40 metros de distancia do local exato do crime, estou aqui traumatizado, o assassino é muito frio, ele estava de camisa amarela e bermuda preta com listras branca”, frisou a testemunha.

Após os disparos várias guarnições da 64ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), juntamente com outras guarnições da 66ª, RONDESP e Asa Branca, além de equipe da Polícia Civil compareceram imediatamente no local e realizaram rondas e buscas aos criminosos. Mas até o momento, os assassinos não foram presos.

Policiais do Serviço de Investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), juntamente com peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT), sob o comando da delegada Ana Cristina e a coordenação do delegado João Rodrigues Uzzum compareceram ao local do crime, onde realizaram o levantamento cadavérico e iniciaram as primeiras investigações.

João Uzzum contou que, testemunhas ouviram quatro estampidos. Ele disse também que a vítima trabalhava como agente de portaria. “Tudo indica que ele atuava em uma empresa particular, vamos verificar se ele ainda exercia essa função. Encontramos apenas a carteira de trabalho dele e não portava arma de fogo. Ainda é muito cedo para apontar uma motivação”, informou o delegado.


Investigadores já conversaram com familiares da vitima e também estiveram no colégio e conversaram com funcionários. No local, policiais receberam informações que a vitima também trabalhava no município de Amélia Rodrigues, como Agente de Portaria.

Aula Suspensa

A direção do Colégio Padre Vieira determinou a suspensão das aulas do turno vespertino (tarde) e noturno (noite), sendo que, hoje as aulas voltam ao normal. Uma professora que não quis ser identificada afirmou que.

“Constantemente a vitima pegava sua filha na escola e sempre no mesmo horário, alguns minutos antes de soltar os alunos. No momento do crime, estávamos todos no interior do colégio, o portão estava fechado e só ouvimos os disparos, quando saímos, a vitima ensanguentada caída ao solo”, finalizou a professora.


Nenhum comentário: