quinta-feira, 18 de junho de 2015

Acusado de raptar e matar mulher é condenado, enquanto mandante é absorvido

Na terça-feira (16) foi iniciada no tribunal do júri, provisoriamente instalado no auditório da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), o julgamento dos réus Deusdete Oliveira Leite e de Paulo de Jesus Oliveira, respectivamente acusados de serem mandante e executor da dona de casa Clemilda Fraga da Silva, que tinha 42 anos. 



O júri, decidiu que, o mandante Deusdete foi absolvido pelo conselho de sentença e Paulo Oliveira vai cumprir 10 anos, 8 meses e 21 dias de prisão. O julgamento terminou na madrugada de ontem (17). Presidido pela juíza Kátia Regina Mendes Cunha. O advogado Guize Raslan atuou na defesa de Deusdete, enquanto Paulo Oliveira teve como advogada a defensora pública Flávia Apolônio. Enquanto, na acusação, atuou o promotor Audo Rodrigues.


A dona de casa, Clemilda foi raptada de casa no dia 21 de agosto de 2012 e encontrada morta em uma cisterna, dois dias depois, na localidade conhecida como Alto do Rosário, distrito de Jaíba, em Feira de Santana. Segundo, os autos do processo, a mulher foi morta porque não queria sair de uma propriedade de Deusdete, que por sua vez, teria contratado Paulo para dar um sumiço na dona de casa.

O CRIME

O marido de Clemilda, Antonio Orlando Martins da Costa, 33 anos, afirmou que, na época ela foi levada à força, na presença do filho do casal, de seis anos. A Polícia Militar fez buscas pela região e prendeu Paulo de Jesus Oliveira, acusado de ter raptado a mulher.

“Paulo invadiu a casa colocou minha mulher nas costas e saiu correndo em direção a um matagal que fica nos fundos da casa. Procurei a 2ª Delegacia e registrei a queixa. Eu moro com ela  oito anos, e vivemos muito bem. Eu não sei o que aconteceu,  que na hora,  o filho dela de seis anos presenciou o fato, '’ disse o agricultor.

A PRISÃO
O capitão da PM, Neves, que comandou a operação para prender o acusado, afirmou que, Paulo contou que iria receber a quantia de R$ 2 mil para jogar o corpo da mulher na cisterna. O que motivou a morte de Clemilda foi uma briga pela propriedade onde a vítima morava.

O acusado confessou que jogou o corpo na cisterna e disse que a mulher já estava morta. Ele acusou um homem identificado como Deusdete. Paulo contou ainda que Clemilda e o marido estavam morando em uma propriedade de Deusdete, que queria a casa de volta, mas que Antonio Orlando relutava em sair.

Após a prisão de Paulo de Jesus Oliveira 19 anos, na tarde de ontem (23), durante uma operação da Polícia Militar através do Tático Móvel e da Polícia Civil através de investigadores da  Delegacia, qual confessou ser autor do rapto da dona de casa Clemilda Fraga da Silva, 42 anos e participar na morte e na ocultação de cadáver da mesma, o mesmo também confessou que mandante do crime foi Deusdete Oliveira Leite, 66 anos

No momento em que o Corpo de Bombeiro fazia o resgate do corpo de Clemilda, que foi jogado dentro de uma cisterna, pelos acusados, investigadores da  Delegacia, sob o comando do Delegado Madson Sampaio e a chefia de Fernando Rodrigues conseguiram prender o suposto mandante identificado como Deusdete.

Os investigadores conduziram o mesmo para Delegacia de Homicídio, onde foi autuado em flagrante por ocultação de cadáver. Na delegacia Deusdete negou o fato.

Nenhum comentário: