quinta-feira, 10 de maio de 2012

Três comerciantes de Feira de Santana presos na Operação “Baco”

A prisão de três comerciantes de Feira de Santana aconteceu na manhã de quinta-feira (10), durante a Operação “Baco”, deflagrada por uma Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, Ministério Público, Poder Judiciário e da Secretaria Estadual da Fazenda para combater o crime de sonegação fiscal. Foram cumpridos 9 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão em Salvador, Lauro de Freitas, São Francisco do Conde e Feira de Santana.

Em Feira de Santana as prisões aconteceram com propriétarios do Supermercado Azevedo, localizado no bairro Cidade Nova, que trabalha com a venda de bebidas e gêneros alimentícios
 

De acordo prepostos da Força Tarefa das 9 prisões, 3 ocorreram em Feira de Santana onde o golpe foi avaliado aqui em cerca de 1 milhão e 700 mil reais. Os nomes dos presos não foram divulgados pelos responsáveis da operação.
Delegado Jackson

O delegado Jackson Carvalho da Delegacia Especializada em Crimes Econômico e Contra a Administração Pública (DECECAP) afirmou para reportagem que o esquema criminoso era realizado por duas empresas com sede em Lauro de Freitas e Feira de Santana, onde os comerciantes adquiriam empresas em outros estados e registravam em nome de terceiros (laranjas). “Com o esquema, os empresários não pagavam o imposto de ICMS. A estimativa é que apenas a empresa de Lauro de Freitas, que era de maior porte, sonegou R$ 12 milhões em tributos em 2010 e 2011. Para camuflar o patrimônio, o empresário comprava veículos em nome de terceiros”. Contou o delegado Jackson.
Promotor Everaldo

O Promotor Público Everaldo José Yunes Pinheiro, Titular da Promotoria Pública Regional Especializada em Crimes Contra a Sonegação Fiscal afirmou para reportagem que os fraudadores adqueriam produtos na área de bebidas quentes e gêneros alimentícios no nome das empresas em outros estados. “Mas comercializavam esse estoque em Lauro de Freitas e em Feira de Santana no bairro da Cidade Nova em um supermercado, pois os produtos eram vendidos abaixo do preço de mercado''. Afirmou o promotor.

A operação contou-se com um contingente de 120 servidores estaduais, sendo 50 da Secretaria da Fazenda e 70 da Secretaria de Segurança Pública, além de 2 Promotores de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia, com a utilização de uma frota de 37 veículos.

Nenhum comentário: