sábado, 7 de abril de 2012

Morre jornalista Cida Machado

Faleceu na manhã desta sexta-feira (6), a jornalista feirense Maria Aparecida Machado, conhecida como Cida Machado, que estava lutando contra um câncer no pâncreas desde maio de 2011. Após descobrir o tumor, Cida fez um tratamento de 6 meses no Hospital de Câncer de Barretos, em São Paulo. Ela retornou para Feira de Santana no mês de março de 2012 e ficou internada na Clínica Oncológica do Hospital Dom Pedro de Alcântara.
Foto Vone Santana / Aparecida Machado

Jornalista, colunista social e fundadora do bloco infantil Zerinho, a trajetória profissional de Cida se confunde com a sua vida pessoal. Ela trabalhou durante muitos anos na TV Subaé, e encerrou sua carreira como jornalista no Jornal Folha do Estado e colunista no site Acorda Cidade. Cida também apresentava aos sábados, o programa “Um Toque de Mulher”, na rádio Sociedade.

Por onde passava, Cida deixava um rastro de alegria e fé na vida, tratando a todos com igualdade e respeito. Ela não desistiu e lutou pela vida até o último minuto, recebendo a todos com um sorriso estampado no rosto, mesmos nas horas mais difíceis. Mãe de dois filhos, Victor e Osmário, Cida estava feliz com a gravidez de sua nora Ísis, que lhe dará seu primeiro neto.

Cida se vai, mas deixa conosco um exemplo de fé, humildade, um exemplo de vida. Ela nos ensinou na saúde como é amar ao próximo, como é viver buscando sempre o bem. Ela tinha um carinho e um cuidado sem igual pela sua mãe, Dona Iaiá, que faleceu na última terça-feira (3) aos 99 anos.

Ela também nos ensinou na doença. Nos mostrando com dignidade e esperança, o que é ter fé em Deus e vontade de vencer.

Obrigada, Cida Machado, pelo exemplo de mãe, mulher, amiga, jornalista, enfim, obrigada pelo ser humano iluminado que você foi. Descanse em paz.

O velório será na capela do Hospital Dom Pedro de Alcântara e o sepultamento neste sábado (7), 11h, no cemitério Jardim Celestial

Informações do Acorda Cidade

3 comentários:

Anônimo disse...

É com muito pesar que soube do falecimento de D. Cida como eu costumava chama-la. A conheci em um período que trabalhei no Jornal Folha do Estado, fizemos muitas viagens pelas cidades circunvizinhas da nossa região e posso afirmar: Pessoa igual é difícil de encontrarmos nos dias de hoje. Humilde, sempre feliz, otimista, e na medida do possível sempre disposta a ajudar quem quer que fosse. Saudades eternas dona Cida. Seus amigos, parentes, empresários, políticos que conviveram contigo jamais se esquecerá de ti. VAI COM DEUS...

Arlindo Sobral

Anônimo disse...

Tive a feliz oportunidade de conhecer essa moça rapidamente enquanto este proxima a uma parente minha no HDPA e pude perceber um ponto luminoso de luz nos olhos dela mesmo nos momentos mais difíceis. ela tinha um tom de voz firme, porém doce e bem natural. Nos poucos momentos de "trégua" daquelas dores ela de fato sorria para as pessoas ao seu lado. Agora ela está diante de Deus e ´restará contas apenas de suas boas ações para receber as bênçãos do Senhor.

Anônimo disse...

ELA NÃO ERA FEIRENSE.NASCEU EM VARZEA DO POÇO.