sábado, 31 de março de 2012

Guarda Municipal quer integração com forças de segurança pública

A Guarda Municipal de Feira de Santana encerrou no final da tarde desta sexta-feira (30), o Seminário de Segurança Pública da Região Metropolitana, que contou coma presença de prepostos da Guarda Municipal de mais de vinte cidades baianas como Pojuca, Santa Bárbara, Jequié e Amélia Rodrigues e fora do estado como Maceió e Curitiba.

O evento teve objetivo a discussão do policiamento ostensivo e preventivo, realizado pela GM, e também a integração da Guarda Civil Municipal no contexto das forças de segurança pública.

O inspetor da Guarda Municipal de Curitiba, capital do Paraná, Claudio Frederico de Carvalho, que ministrou no evento uma palestra que debateu sob o olhar jurídico o poder de polícia da GM, defendeu a importância de uma tomada de consciência da população de que o município pode contribuir para a redução do índice de violência. “Nos últimos dois anos a Guarda Municipal em Feira de Santana está nas ruas, mais próximo da população, cumprindo o papel de servir aos munícipes”, disse.

Sobre a Guarda Municipal curitibana, o inspetor destacou que corporação trabalha integrada com as demais forças de segurança pública e outros organismos. “Sempre quando temos alguma ação, nós encaminhamos as informações para os demais comandos, a fim de ter uma ação efetiva, com o objetivo de diminuir a criminalidade”, explicou Carvalho.

O presidente da Associação de Guardas Municipais de Feira de Santana, Israel Santana, lembrou que o seminário também visa esclarecer a população sobre o trabalho da corporação. “Em Curitiba a GM já trabalha de forma integrada com a Polícia Militar e Civil e pode trazer esse modelo para Feira. É um exemplo a ser seguido. Estamos avançando muito, mas nada impede de alcançarmos passos maiores. A GM de Feira de Santana está começando a crescer”, declarou.

Informações do repórter Valdir Moreira(Bom Dia Feira)

3 comentários:

Rodo n'eles! disse...

Feira estar violenta? sim, e isto é fato, apesar de quase todo dia morrer, um ou dois marginais, "que diga-se de passagem,não é gente".o único jeito de acabar com a marginalidade, é começarmos a matar, LADRÃO,TRAFICANTE, e principalmente USUÁRIOS, Porque o usuário só é considerado, doente pelo fato de muito gente "grande" como politico,empresario e etc, USAREM!

Anônimo disse...

Eh pq seus colegas n usam... Rodinho...

José Marcelo disse...

A ecretaria de Prevenção a Violencia, foi criada e a violencia continua aumentando, só se gastou muito dinheiro e nada. Quanto a Guarda Municipal, infelismente já entrou no esquema de coisas erradas, existe por exemplo, uma GM que a qualquer momento vai ser nomeada como coordenadora e ela presta serviço em outra prefeitura proxima a nossa cidade, só porque é apadrinhada do comandante, enquanto outros GMS que possuem mas condições de exercer tal função são deixados de lado. Existe varias irregularidades nessa Secretaria,e uma delas é o sumiço de varios aparelhos e até agora estão todos calados. O marido da Coordenadora do PROTEJO, foi contratado mesmo sendo oficial da PM, isso é errado, e o Secretario nada faz para acabar com essas safadesas