quarta-feira, 7 de março de 2012

Comerciante, danifica carro do pai, rouba carro de uma mulher e depois se entrega

O comerciante Alex Dalvino, 33, que reside na rua Lazaro Odorico, bairro Brasília, foi detido na tarde de ontem (7), por volta de 16h, no módulo da Polícia Militar do Terminal Rodoviário, após confessar para a polícia que teria brigado com o pai e em seguida roubou o veículo Honda Fit, de cor preta, placa NYM-4213, depois o abandonou na Santa Mônica.
Momento em que a polícia chega no complexo com o acusado

Uma policial, que se encontrava no módulo do Terminal Rodoviário, entrou em contato com o Pelotão Especial da 64ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), que tinha o comando do soldado Nunes e apoio dos soldados Joel, Menezes e Patrícia. O Pelotão se dirigiu até o módulo e detiveram o comerciante, que acompanhou os militares até a rua Marechal Castelo Branco, bairro Santa Mônica, local onde havia abandonado o veículo.

Os militares conduziram o acusado até o Complexo Policial Investigador Bandeira e o apresentou à Central de Flagrante. O veículo foi encaminhado para o pátio do Complexo Policial e entregue à proprietária.

DEPRESSÃO

O comerciante Alex afirmou para a reportagem que teria brigado com o pai e danificado o veículo Honda Civic deste e depois seguido para Avenida Getúlio Vargas. “Resolvi tomar um carro de assalto e iria colocar 200Km/h, depois colidir num poste, para me matar. Tinha uma mulher com o veículo parado, entrei, pedi para a mesma sair do carro, mandei ela levar a bolsa, pois eu não queria nada, apenas o carro”.

Alex contou ainda que, depois que entrou no carro, seguir pela Getúlio. “Quando pensei em colocar em alta velocidade, desisti e segui para Santa Mônica, deixei o carro estacionado nas proximidades de um colégio particular, peguei um mototaxista fui para um hotel e descansei. Mas não conseguir dormir, pensando no carro que tinha tomado da mulher e fiquei com muita pena dela. Hoje passei o dia todo criando coragem para ir até uma delegacia e me entregar, foi quando resolvi ir à Rodoviária”.
Veiculo que Alex tomou das mãos da mulher

Alex contou ainda que trabalha com o pai numa madeireira, localizada na Feira da Madeira, bairro Brasília. Os policiais disseram nenhum objeto foi roubado do veículo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Isso é falta do que fazer, se ele passasse o mês com um salário mínimo ou menos não tava por ai caçando se matar, porque ia tá preocupado com as divida

Anônimo disse...

Ah maluco va se fuder porra... esse ai quis foi se aparecer!!! quer morrer mesmo deita na BR na frente de um bitrem PORRA!!!

Anônimo disse...

Oh gente num fala assim, so Deus é que sabe o que esse homem passou. Somos seres humanos sujeitos a tantas coisas inclusive a ter um surto como esse homem teve. Nossa mente é fraca, temos mesmo é que se apegar com Deus cada vez mais. As vezes nos apegamos tanto as coisas materiais como o dinheiro que quando passamos por uma situação como essa entramos em desespero que ate a propria vida quer tirar. Acordem pra vida e lembre-se mais de Deus

William disse...

Agora deixando de lado o conto da carochinha, as possibilidades mais plausíveis são: ou efeito de drogas, ou crise de abstinência. A briga com o pai, se houve, foi só acessório.