sexta-feira, 2 de março de 2012

Assaltantes de Bancos: Mais sete foram presos pela Polícia, entre eles quatro policiais

O Departamento de Polícia do Interior (Depin) anunciou, nesta quinta-feira (1º), as prisões de sete homens, entre eles quatro soldados da Polícia Militar, que há 25 dias roubaram R$ 600 mil da agência do Banco do Brasil, em Ribeira do Pombal. As equipes da Delegacia Territorial (DT) daquela cidade e do Grupo Avançado de Repressão a Crimes Contra Instituições Financeiras (Garcif/Juazeiro) recuperaram mais de R$ 200 mil, quantia já devolvida à direção do banco e que estava enterrada em três locais diferentes na região.



Parte do dinheiro recuperado pela polícia na semana passada em Ribeira do Pombal


Segundo o delegado Fábio Ávila, coordenador do Garcif/Juazeiro, mais seis integrantes da quadrilha, alguns deles provenientes de outros estados, como São Paulo e Paraná, já têm mandados de prisão e estão sendo procurados. As investigações apontam que integrantes do grupo estão envolvidos nos assaltos às agências bancárias de Cícero Dantas, Cipó, Antas, Canudos e Adustina.

O bando começou a ser desarticulado um dia após o roubo, ocorrido em 5 de fevereiro – um domingo -, com as prisões de Rogério Oliveira dos Santos, vigilante da agência bancária, José Nivaldo Rodrigues Silva Conceição, o “Dinho”, Givanildo Jesus de Santana, o “Igor Mecânico”, e dos soldados Luciano Railton Oliveira dos Santos, Antônio José Coutinho da Silva, Elmo Santos Batista e Jairo Santana Costa, lotados na CIPM de Ribeira do Pombal. Os policiais militares estavam trabalhando de plantão no dia do roubo ao banco.

O delegado Equiber dos Santos, titular da DT de Ribeira do Pombal, indiciou em inquérito policial por roubo e formação de quadrilha José Nivaldo e Givanildo, ambos também mantidos à disposição da Justiça na 25ª Coorpin, bem como os quatro soldados PM, estes já recolhidos ao Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas.

Autuado em flagrante por roubo qualificado e formação de quadrilha, o vigilante Rogério, que facilitou o acesso dos comparsas ao banco, está custodiado na 25ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), em Euclides da Cunha. A prisão temporária de todo o grupo, já convertida em preventiva, fora decretada pelo juiz Paulo Henrique Santos Santana, com o apoio do promotor João Paulo Santos Schoucair.

AJUDA

Imagens captadas por câmeras de segurança do banco e de monitoramento de ruas próximas à instituição financeira, bem como denúncias da comunidade através do telefone 181 ajudaram a polícia a elucidar o roubo à agência, segundo avaliou o delegado Miguel Vieira, coordenador da 25ª Coorpin, cuja equipe auxiliou na investigação conduzida pelos delegados Fábio Ávila e Equiber dos Santos.

Ouvido na Delegacia de Ribeira do Pombal ao encerrar seu turno de trabalho, o vigilante Rogério Oliveira dos Santos informou não ter percebido nenhuma movimentação estranha na agência durante seu expediente. Mas ao ser reinterrogado pelo coordenador do Garcif/Juazeiro, admitiu participação no crime, declarando ter facilitado o acesso dos ladrões ao dinheiro. Os outros seis integrantes do bando foram presos sequenciadamente.

A polícia apurou que José Nivaldo, autônomo residente em Ribeira do Pombal, havia sido contatado dois meses antes do assalto por bandidos de outras regiões para participar da ação criminosa. Coube a ele atrair o vigilante Rogério Oliveira e Givanildo Jesus de Santana para o grupo. Mecânico que fazia a manutenção da viatura da PM em Ribeira do Pombal, Givanildo articulou-se com os soldados Luciano, Antônio José, Elmo e Jairo, que também decidiram integrar a quadrilha.

No período entre 15 horas do dia 5 de fevereiro e 4 horas da manhã seguinte, os ladrões permaneceram na agência bancária e, utilizando maçaricos, conseguiram arrombar os caixas. De acordo como delegado Fábio Ávila, a partilha do dinheiro subtraído aconteceu em Feira de Santana, cabendo a José Nivaldo trazer para Ribeira do Pombal a parte destinada aos cúmplices que ficaram naquele município.

Mas, antes que Rogério, Givanildo, Luciano Railton, Antônio José, Elmo e Jairo tivessem acesso ao dinheiro trazido de Feira, uma equipe policial comandada pelo delegado Equiber dos Santos conseguiu recuperar cerca de R$ 200 mil, enterrados por “Dinho” num sítio na zona rural e em dois imóveis na zona urbana, um dos quais pertencentes a ele. As informações são da Polícia Civil.

14 comentários:

Anônimo disse...

tavendo ai que os policiais sao ladroes mesmo... e o governo de Jaques wagner

ANONIMATO disse...

AH TINHA QUE TER PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA. NÃO TEM CONDIÇÕES GENTE, TANTO ASSALTO A BANCO DESSE JEITO. EU ACHO UM ABSURDO UNS HOMENS DESSES QUE ESTUDAM,VESTE A FARDA JURANDO PROTEÇÃO A POPULAÇÃO... MENTIRA, JA VÃO EM BUSCA DESSA PROFISSÃO PRA TEREM FACILIDADES COMO ESSAS: ASSALTAR. POLICIA É BANDIDO!!!!!!!!! SAEM PARA COMETER ASSALTOS A BANCOS E SE PRECISO MATAR PORQUE SE ALGUEM REAGIR É CLARO QUE ELES VÃO MATAR PRA SE DEFENDER. NOSSA... EU FICO REVOLTADO COM ISSO. SENCERAMENTE
PARABÉNS AOS DELEGADOS QUE DESARTICULARAM MAIS UMA QUADRILHA DE BANDIDOS A BANCO E COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: POLÍCIAIS!!! KKKK

Anônimo disse...

Nao só esse , como todos os outros tem participação de policiais safados, seria impossivel ladroes fazerem isso com tanta frequencia e sem que ninguem peguem. Dar a carteirada que faz com que eles andem a vontade por ai. A PRF quando desconfiar tem que fazer varredura nos carros desses sacripantas.

Makallin disse...

é brincadeira a policia pra protege é esta lavando tambem q vergonha é verdade eu mesmo so confio no senhor JESUS pra mim protege porque no homem so da isso OK voltei pra fala a verdade

Anônimo disse...

ahahahahahahaha nao perco uma eu ja sabia que tinha policia no meio

Anônimo disse...

Não é por causa de UM ou OUTRO, que apronta, que todos os Policiais são vagabundos, vocês tem que saber separar as coisas.

Quando a Polícia faz o trabalho direito, ninguém elogia.

Vão procurar o que fazer.

Anônimo disse...

Os vagabundos esperam só um erro de algum Policial, pra DESABAFAR.

Desabafa cambada de otários.

Podem escrever a vontade, quero vê é dá as CARAS.

Anônimo disse...

NÃO SOU POLÍCIA , MAIS POR CAUSA DESSA MENORIA DE LADRÃO SEM VERGONHA NAO PODE DIZER A POLICIA ,
ROUBA CADA UM PAGA POR SEUS ATOS

Anônimo disse...

Os vagabundos esperam só um erro de algum Policial, pra DESABAFAR.

Desabafa cambada de otários.

Podem escrever a vontade, quero vê é dá as CARAS.


FAÇO MINHA AS PALAVRAS DO COMPANHEIRO!


SELVA!

Anônimo disse...

eles esquecem que quem prende policial corrupito tbm é outro policia. existem maus policiais nas corporações asim como existem maus filhos em boas familias, assim como existem maus pastores, assim como existem maus alunos universitários, assim como existem maus politicos( EM PROPORÇÃO MAIOR) , ou seja, tds essas classes são estraidas de uma sociedade q não tem valores morais tão fortes como deveria ser.

Anônimo disse...

sem contar q tds os envolvidos são recem formados ,provando que ja entraram na corporação com má intenção e que o problema esta enraizado no seio da sociedade e não numa corporação que apesar de ser tão esculachadas por tds(inclusive por quem tanto precisa) é formada por 99% de homens de bem q arriscam as suas vidas em pró de uma causa q não lhes dá nem retorno financeiro nem o consolo da gratidão de quem constantemente não consegue viver sem os seus serviços.

Anônimo disse...

ao anonimo das 14:26, não é bem assim , eu conheço varios policias que são honesto, e não compartilham com essa coisas.vc tá falando besteira ... cuidado com que fala para não fazer uma injustiça com aqueles que botam suas vidas em risco para fazer vsua segurança e de sua familia.

Anônimo disse...

bota a cara dos pm aqui na Matéria ou vcs só coloca cara de pobre !

Sierra Delta disse...

Ao babaca que falou a respeito dos pms serem recem formados:
Você tem alguma prova do que tá falando?
Você é juiz ou júri popular para condenar eles?
Fica ai alienado se baseando em notícias dessa midia que crucificou os Praças da PM na greve.
Dispõe o inciso LVII do art. 5º da Constituição Federal de 1988: "ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória".