sábado, 11 de fevereiro de 2012

Presos os policiais acusados das mortes na Boca do Rio

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) anunciou à imprensa, na manhã de sexta-feira (10), os nomes de quatro soldados da Polícia Militar, acusados de integrarem um grupo de extermínio, responsável por pelo menos nove assassinatos no período de dois anos em Salvador. Cinco deles no dia 3 de fevereiro, na Boca do Rio.

Os soldados Donato Ribeiro Lima, de 47 anos, e Willen Carvalho Bahia, 34, já foram presos, quinta-feira (9), por investigadores do DHPP e agentes do Comando de Operações Táticas (COT), da Polícia Federal, em cumprimento a mandados de prisão expedidos pelo Juiz Freddy Carvalho Pitta Lima, da 8ª Vara Crime.

Os soldados Samuel Oliveira Meneses, conhecido como “Marrom”, e Jair Alexandre dos Santos também já possuem mandados de prisão, expedidos pela Justiça, e são procurados pelas Polícias Civil e Federal. Ambos são lotados na 39ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), localizada na Boca do Rio.

Apontado como líder do grupo, o soldado PM Donato já esteve preso na Colônia Penal Lafayete Coutinho, condenado por homicídio, trabalhou na 39ª CIPM/Boca do Rio e encontrava-se lotado no 16° Batalhão de Polícia Militar, em Serrinha, distante 180 quilômetros de Salvador. Willen integra o Comando de Operações Policiais Militares (COPPM), no bairro dos Aflitos.

Os quatro soldados são suspeitos de um triplo homicídio, ocorrido em setembro do ano passado, na Boca do Rio, que vitimou três adolescentes de 14, 15 e 16 anos de idade. Investigações revelam que o quarteto também é responsável pela morte de Sérgio dos Santos Sena, em abril de 2010, também na Boca do Rio.

O diretor do DHPP, delegado Arthur Gallas, disse aos jornalistas que foram ao edifício sede da unidade policial, nesta manhã, que as investigações procuram saber se as cinco mortes na Boca do Rio estão relacionadas ao movimento paralisação da PM, com a intenção de criar pânico na cidade. A unidade procura saber também se o grupo agia sob orientação e comando de comerciantes de diversos bairros.

Na residência de Donato, no bairro de São Caetano, onde foram cumpridos também mandados de busca e apreensão, os policiais encontraram duas pistolas ponto 40, uma pistola sem calibre definido, um revólver calibre 38, uma espingarda de ar, uma mira ótica, nove carregadores e farta munição.

No imóvel, foram apreendidos também diversos aparelhos celulares, 62 DVDs, uma CPU e máquinas fotográficas, entre outros objetos. No local, havia também várias placas frias de automóveis. Segundo Arthur Gallas, a polícia investiga se as placas eram afixadas nos veículos usados, durante as ações do grupo, com objetivo de impedir a identificação dos mesmos.

O soldado Samuel, que mora na Boca do Rio, não foi encontrado, mas em sua residência foram apreendidos uma pistola calibre 32, com carregador, munições, um notebook, relógios de pulso, celulares, balanças de precisão, pen drives e pinças de vários tamanhos. Todo o material encontrado será periciado no Departamento de Polícia Técnica (DPT). Donato e Willien estão no Batalhão de Choque da Polícia Militar, em Lauro de Freitas.

FONTE: SSP

3 comentários:

motoboy disse...

cade as fotos dos vagabundos coloca air porque nao colocou ta incubrindo os erro desse ponbo sujo e tem que colocar as foto pra os correrias corta no aco

Anônimo disse...

mostra a foto desses bandidos que se intitulam policiais militares,sao bandidos assassinos,cadeia neles.VIVA A POLICIA HONESTA QUE NAO SE VENDE PARA O CRIME.

Anônimo disse...

Polícia é Polícia...







...Vagabundo é Vagabundo