sábado, 11 de fevereiro de 2012

Greve da PM-BA: Policias grevistas podem ocupar outro espaço público em Salvador

Depois de dez dias de ocupação na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), os policiais e bombeiros militares, que decidiram manter a greve, planejam ocupar outro espaço público em Salvador. De acordo com um dos representantes do grupo, S.O., o motivo principal para a ação seria a recusa do Comando Geral da Polícia Militar em negociar com o movimento. Segundo informações dos grevistas, o comandante geral da PM, coronel Alfredo Castro, estaria dificultando o diálogo com o grupo.
Fioto da Veja

Além disso, eles estariam insatisfeitos com as declarações feitas pelo comandante à respeito da paralisação, que já dura 12 dias. Não foi especificado qual prédio seria ou poderia ser alvo da ação. A assessoria da Polícia Militar ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Para Comando, a greve terminou - No final da manhã de sexta-feira (10), o coronel Alfredo Castro, afirmou que a greve da policiais e bombeiros militares havia terminado. De acordo com ele, o policiamento na ruas já era de 85% do efetivo.

"Na minha ótica, o fim da greve está decretado. Existe uma pequena minoria que resiste à convocação do Comando Geral", disse. Ele também disse que os membros da corporação que não se apresentarem sofreriam com descontos na folha de pagamento pelos dias não trabalhados. Além disso, os policiais grevistas poderão responder à processo administrativo disciplinar.

Mesmo com as restrições impostas, parte do efetivo optou por dar continuidade às mobilizações. No final da tarde deste sábado (11), os policiais e bombeiros militares realizam novamente uma assembleia geral no ginásio de esportes do Sindicato dos Bancários, nos Aflitos. No encontro, estarão presentes os membros da Associação dos Cabos e Soldados (APPM), da Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (APRA) e da Associação de Sargentos e Sub-Tenentes de Polícia Militar.

Os grevistas deverão fazer um balanço da greve e decidir sobre os rumos do movimento. Mais uma vez, não será permitida a presença da imprensa dentro do ginásio. O grande entrave das negociações está relacionado ao pagamento da Gratificação por Atividade Policial IV (GAP IV), a liberação dos policiais presos, incluindo Marco Prisco, principal nome da greve e a revogação dos demais decreto de prisão feitos pela Justiça.

O governador Jaques Wagner afirmou que o pagamento das gratificações só poderiam ser feitos a partir de novembro e de forma escalonada. A proposta do governo é o aumento de 6,5% da remuneração retroativo ao mês de janeiro deste ano.

As informações são do Correio.

7 comentários:

Anônimo disse...

Atrasada e vergonhosa noticia.
A POPULAÇÃO esperando um resultado positivo deste desfecho e voces postando como sempre posições contrarias, este BLOG deveria se definir, se intitula como viola em relação a polícia, mas na verdade querem tratar a mesma com fantoches.
SIGNIFICADO E ORIGEM DO NOME VIOLA - ANALISE DA PRIMEIRA LETRA DO NOME: VIOLA
Possui um lucidez incomum, especialmente no que se refere julgar o mundo e as pessoas. Sempre abre a boca para dizer a coisa certa. O problema é que não vive com os pés chão, e desliga sua atenção com uma rapidez incrível. As vezes isso da a impressão de não estar nem ai para o que acontece a sua volta. Liberdade, é uma coisa muito importante para você e, e por esta razão prefere resolver sozinho seus problemas sem pedir ajuda ou conselhos a quem quer que seja. Não gosta nem de dar nem de receber ordens. E precisa aprender a controlar a teimosia.

Gleidson Santos disse...

Desculpa, não entendir, se possivel, queira falar comigo pessoalmente, ou seja, fazer criticas sobre matérias, pode mandar um email direto pra mim.

gleidson23@msn.com

Desculpas mesmo, não entendi

Gleidson Santos

GZG disse...

Gleidson!!!n é so vc q nao entendeu o q esse filósofo ai disse n,eu n entendi bulhufas!!!!

Carlão. disse...

Gleidson conserta o título abaixo da foto de prisco(FIOTO DA VEJA) Valeu?

Anônimo disse...

Você que não é policial. De que lado estava? Do nosso que é o mesmo seu. Ou o deles? Sim. O nosso é o mesmo seu.Deixemos de ser hipócritas por alguns minutos e analisemos friamente os fatos. Se os funcionários de uma empresa estão parcialmente satisfeitos com o esforço feito pelos patrões, para lhes dar melhores condições de trabalho e financeira, e observam que a empresa realmente chegou ao limite. 90% destes funcionários jamais entrariam em greve, pois, greve é ruim para todos os lados. Assim sendo, é lógico que a maioria esmagadora dos FUNCIONÁRIOS de segurança pública, está profundamente insatisfeito. O governo diz que á uma mesa permanente de negociações. Que tipo de mesa é essa onde os comandos da propria corporação e algumas entidades só podem ouvir? Isso é mesa permanente de quê? Chega de inverdades. Tudo agora é tratado como politica ou como interesse politico, para colocar como falsos motivos, ou seja, os PMs, estão nadando em dinheiro e são respeitados pelo estado e pela mídia.
Você que não é policial. Quanto melhor for nossa condição em geral. Melhor será para todos, isso é lógica. Eu sou bem tratado, eu trato bem. Essa demagogia de jurar pela propria vida deve ser considerado como assédio moral, pois, sei que não há um só PM que queira morrer por ninguém, principalmente por uma população acéfala, sem sentido de cidadania, que se preocupa mais com o carnaval, que de fato com sua propria existência. Se querem mudar esta situação, basta pressionar o Governo, através das redes sociais, e da mídia.
Somos todos tolos
jonh soares.

Anônimo disse...

Os PMs da ¨65 CIA, estão sendo pressionados constantemente, pelo comandanta major Paulo Carvalho, que diz a todo momento. Que lá quem manda é ele, e que ele faz o que quiser. Que Não tem deputado ou comandante de CPRL ou Geral, para faze-lo voltar atras. Como de fato tem sido. O policial tem mais problemas com o comandante do que com os ilícitos da área, que por sinal, é a mais problemática e tumultuada da Cidade. A culpa de tudo isso que acontece hoje em Feira, deve ser creditada a quem coloca em locais tão importantes quanto o comando de uma corporação, pessoas cheias de revolta e vaidade,e em alguns casos, desequilíbrio psicológico e sem ética. Além do fato, de não haver um órgão responsavel por fiscalizar os atos desproporcionais destes homens falhos, que se consideram irrepreensíveis.

Anônimo disse...

Povo de Feira, e de toda Bahia. Ajudem os funcionários públicos do Estado a melhor lhes servir. Cobrem de seus Deputados e de seu Governador, ética no tratamento entre os funcionários de todas as classes. Um funcionário bem tratado, trata bem!