quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Governo propõe GAP IV e GAP V e não punição dos PMs que participam pacificamente da paralisação‏

A implantação escalonada da Gratificação por Atividade Policial GAP IV, a partir de novembro de 2012, de forma que todo o efetivo da Polícia Militar seja promovido até 2015 à GAP V, principal reivindicação da categoria, é a proposta do Governo do Estado aos policiais militares. A GAP IV terá sua implantação concluída em 2013. Um processo de transição será implantado, em 2014, com a aplicação de uma escala intermediária equivalente à metade da diferença entre a GAP IV e a GAP V e, em novembro de 2015, todos chegarão à GAP V.

“Nós, ao longo de cinco anos, concedemos 30% de aumento real. E eu tenho limite na folha. As negociações são em torno da chamada GAP 4 e da GAP 5, mas evidentemente isso terá que ser partilhado até 2015", explicou o governador Jaques Wagner. “Meu esforço está sendo esse, muito grande, fazendo propostas consistentes para que a gente possa terminar esse movimento", concluiu.

Todo o efetivo da PM terá avanços na GAP, seguindo o mesmo cronograma. Além disso, está assegurado o reajuste de 6,5%, retroativo a janeiro de 2012. Essas propostas irão assegurar ganhos escalonados no período, que chegarão a 38,89% para soldados e a 37,11% para sargentos, graduações que correspondem aos maiores contingentes da tropa.

A proposta é centrada no objetivo principal de estabelecer uma política de mobilidade no avanço entre os níveis da GAP até chegar ao quinto e último nível da gratificação criada em 1997. Também está inserida na proposta uma medida de valorização do soldo com a incorporação de R$ 41,00 da GAP III.

O Governo do Estado também resolveu desconsiderar, pela via legal, como infração administrativa disciplinar as situações que envolvam, exclusivamente, a paralisação pacífica do serviço durante o período do movimento.

5 comentários:

Anônimo disse...

Primeiro as "Autoridades" desarmam o povo, com o fundamento de que a nossa segurança é responsabilidade deles e a agora vem com uma greve que fere a constituição em busca de maiores salários e regalias... sendo que no momento em que decidiram entrar para a Polícia já sabiam da realidade do nosso Estado.
Não tenho nada contra a Polícia, nem muito menos contra os Policiais, até tenho alguns amigos policiais e até defendo salários mais dignos, mas o que não aceito é usar a população como escudo humano no meio desse tiroteio por salários melhores, vejo que as autoridades competentes devem manisfestar-se de imediato contra essa greve e exigir o retorno da polícia as ruas ou tomar alguma medida mais grave, mas dessa maneira não pode continuar, estamos com medo e refens da bandidagem, afinal nos desarmamos por que acreditávamos na manutenção da segurança pública e não podemos agora conviver sem armas e sem polícia.
Greve legal não vai de encontro a constituição nem muito menos coloca em risco a segurança de todo um estado.
Exigimos Policiamento nas ruas de imediato, o estado não pode ser complacente a movimentos inconstitucionais que colocam em risco todo a segurança de toda uma população.

Ass: Cidadã feirense

Anônimo disse...

estou sonhado com a noticia ,atençao policia militar vcs venceram ,parabens

PlayMboy disse...

Daqui pra 2015?? Ele quer fazer igual a URV é??

GZG disse...

Nao sei pq O GOV Vagner TEM TANTO ÓDIO DE GREVES E PARALISAÇOES,OU SERÁ Q ELE ESTA ESQUECIDO DO SEU PASSADO DE GREVISTA?ESSA CORJA TODA Q ESTA AI,TANTO ELE ,QUANTO PINHEIRO E DILMA FAZIAM AS MESMAS COISAS Q HOJE ELE INTITULA DE BADERNA E TERRORISMO.PARA TERMOS UM BRASIL MELHOR, SO CONSEGUIREMOS COM LUTA E UNIÃO!AVANTE COLEGAS!!!A POLICIA PAROOOOO!!!!!!!!!

PM FELIZ disse...

é agora vou compra meu carro zero vou compra minha railux com este aumento valeu meu patrão wagner ja vou financia amanha mesmo. vocês vão ver agente agora vai anda so de carro novo otarios fica falando merda ai fui TCHAUU