segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Em fim: Deputados oposicionistas entram na AL-BA


Os deputados estaduais de oposição Sandro Régis (PR), Leur Lomanto Jr. (PMDB), Bruno Reis (PRP), Pedro Tavares (PMDB) e Carlos Geílson (PTN) foram autorizados a entrar na Assembleia Legislativa da Bahia para conversas com os policiais grevistas que ocupam o prédio desde a noite da última terça-feira (31). Além, deles o ex-deputado João Carlos Bacelar (PTN), atual secretário de Educação de Salvador, também entrou no edifício. O general Gonçalves Dias, comandante da 6ª Região Militar, pediu ao grupo que seja sensato no contato com os manifestantes e não atrapalhem as negociações. Foi anunciado pelo general que o secretário da Casa Civil, Rui Costa, participará ainda nesta segunda do encontro com associações de policiais militares.

Outro princípio de confronto aconteceu durante a tarde, quando um caminhão do Exército tentou descarregar tapumes e foi impedido por grevistas que estão na área externa da AL-BA. Depois da confusão, o veículo se retirou sem realizar a tarefa.



Texto e Fotos Bahia Notícias

4 comentários:

Anônimo disse...

aproveita deputado carlos geilson para estar na midia pois vc tem cara que sera deputado apenas quatro anos

cicero disse...

tenho amigos na pm,por isso gostaria que o governador deixasse de ser tão rádical e negociasse.policial tem familia e muitos amigos, quem não conhesse um policial? e que numa nescessidade já não buscou ele para uma ajuda? eu ja e fui atendido,por isso eu apoio A GREVE.mas que termine logo,pois tenho comercio e estamos inseguro.

Anônimo disse...

So em uma cituação como esta pra sabermos a importância da pm. Que DEUS toque o coração do governador e resolva logo sem sangue,pois se isto acontesser,ele e todos do PT vão se afundar.se com a policia ele trata assim ,imaginem ,professores e funcionários da saúde e estudantes?

GZG disse...

CARLOS GEILSON,ZÉ NETO,FERNANDO TORRES.Esses sao os deputados Feirenses que ninguem viu se manifestar em relaçao a greve da PM,ou sera que eles acham q esse assunto nao é de interece do povo?