terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Tragédia com “pai” e “filha” foi passional


A delegada Ana Virginia Paim, titular da Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (DEAM) e responsável pela investigação da tragédia que vitimou a universitária Raissa Cristina Pereira Lemos, 20 anos, onde o suposto pai Wilton Marques da Silva teria atirado nela e depois ter cometido suicídio. Afirmou para reportagem que o crime foi passional, já que os dois conviviam em Feira de Santana há cinco anos como marido e mulher.


No final desta manhã, a delegada Ana Virginia cedeu uma coletiva para Imprensa, esclarecendo as duvidas que ficaram no ar sobre esse fato, onde a sociedade queria saber se realmente Wilton era pai ou padrasto de Raissa. “Após ouvirmos familiares dele (Wilton) e dela (Raissa), conseguimos concluir que os dois conviviam normalmente como marido e mulher, os familiares de ambas as partes estranharam a informação que seria pai e filha. Os familiares nos contaram que todos sabiam que era marido e mulher, desde quando vieram morar aqui na cidade de Feira de Santana, há cinco anos, ela entrava em contato com seus familiares normalmente e constantemente, a mesma coisa ele também”.


Ainda de acordo com Ana Virginia, o que pode ter provocado o mesmo cometer essa tragédia, “ciúmes doentio, quando ela passou a freqüentar a universidade, conhecer novos amigos, ele passou a ter ciúmes, e há duas semanas, se separaram e ele não aceitava a separação e cometeu essa tragédia”.

DPT

Também nesta manhã, um casal de tios materno de Raissa compareceu no Departamento de Polícia Técnica (DPT) para poder fazer a liberação do corpo, já que a mãe da mesma, que reside em Portugal, não pode vim. O corpo vai ser liberado no final desta tarde, onde será translado para o município de Anápolis, que fica no estado de Goiás, terra da Universitária, para fazer o sepultamento.

Enquanto o irmão de Wilton, também compareceu no DPT para fazer a liberação do corpo, ainda não sabemos onde será o sepultamento de Wilton. Ninguém das famílias, quiseram falar com a Imprensa.

COLEGAS E AMIGOS

A Investigação da DEAM ainda não sabe os motivos que levassem aos dois mostrarem que era pai e filha, já que suas famílias tinham conhecimento de marido e mulher. Amigos de Wilton afirmaram que o mesmo alegava que Raissa era sua filha que pegou pra criar-la, desde que a mesma tinha 12 anos. Enquanto Raissa afirmava para as colegas, que Wilton era seu pai.

http://policiaeviola.blogspot.com/2011/12/estudante-baleada-pelo-pai-morre-no.html
Delegada Ana Virginia Paim

2 comentários:

Anônimo disse...

Eu cantei essa pedra qdo vi a reportagem pela tv, quem já viu um pai ter um ciúme desse, ele é um pedófio discarado pq deve ter a seduzido qdo ela ainda era criança ,ainda bem q esse safado se matou pq no presídio ele ia vira mulé

Rikardo disse...

Estudei com ela no ensino médio, ela era sempre reservada quanto a vida pessoal dela, mas lembro bem que as meninas nunca queria fazer trabalhos escolares na casa dela por causa do "pai", mas nunca ouvi que ele tinha agredido ou ofendido ninguem, acredito que era por puro receio.
Fiquei feliz em saber que daquela turma do Polivalente alguem tinha conseguido entrar na UEFS (universidade dos burgueses) mas esse FDP estragou a vida da menina.
Apesar de que naquela época a gente não era muito chegado mas desejo que Jeová, Alá, Jah, Buda ou seja lá quem for que de um bom lugar pra ela.