quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Pai,filhos e madastra juntos no mundo do crime

Uma família de assaltantes de banco, liderada pelo ex-presidiário Carlos Alberto de Souza Pauferro, 49 anos, que tentou roubar o dinheiro de uma agência bancária no município de Ubatã, na segunda-feira (28), foi apresentada à imprensa, nesta quarta-feira (30), no edifício sede da Polícia Civil, pelo delegado Adailton Adan, coordenador geral do Grupo Avançado de Repressão a Crimes contra Instituições Financeiras (GARCIF), e pelo titular da 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Feira de Santana), Ricardo Esteves Brito Costa. Os criminosos chegaram a fazer reféns o gerente do banco, sua mulher e os dois filhos pequenos do casal, resgatados ilesos pela polícia no vilarejo de Tremendal, em Maraú.

Carlos Alberto, que saiu do Presídio de Jequié há seis meses, mediante alvará de soltura, sua atual mulher, Gilvanete Silva Soares, 47 anos, e os filhos Rodrigo, 25 anos, e Carlos Alberto Maciel Pauferro, 27, foram presos, ontem à tarde (29), no município de Jequié, por uma equipe comandada pelos delegados Adailton Adan e Magda Suely Figueiredo, esta coordenadora do GARCIF de Itabuna. Os três homens estavam em via pública, em Jequiezinho, e Gilvanete escondida numa casa, no mesmo bairro.

No imóvel, os investigadores apreenderam duas pistolas, calibres 380 e 9mm, um revólver calibre 38, uma espingarda calibre 12, de cano curto, além de ferramentas para arrombamento de caixas eletrônicos. O ex- presidiário, a companheira e os filhos foram autuados em flagrante por formação de quadrilha e extorsão mediante sequestro.

Unidos no crime

Segundo a delegada Magda Suely, Carlos Alberto, que já cumpriu pena por prática de roubo a banco e por extorsão mediante sequestro, começou a namorar Gilvanete Soares, que fazia parte da Pastoral Carcerária, quando ainda estava recolhido no Presídio Regional. Em meados deste ano, passaram a morar juntos em Jequié, tendo o ex-presidiário retomado a atividade criminosa, em parceria com a nova companheira e os filhos Rodrigo e Carlos Alberto, frutos de um antigo relacionamento.

Ao retornar do trabalho, na noite de segunda-feira, o gerente da agência bancária foi abordado na porta de casa, em Ubatã, pelos bandidos, que o levaram para uma fazenda no vilarejo de Tremendal, junto com a mulher e filhos de quatro e seis anos. Dois dos assaltantes mantiveram a família num barraco na fazenda e o restante do grupo deixou o bancário em Camumuzinho, distrito de Ibirapitanga, ao perceber que a polícia já tinha descoberto o sequestro.

Por volta de 3 horas da madrugada de ontem, o gerente chegou a Ubatã, tendo os bandidos exigido que ele retirasse todo o dinheiro do banco para pagamento do resgate da mulher e das crianças. Antes que fosse cumprida a exigência da quadrilha, a mulher e os filhos do bancário foram deixadas em Maraú e resgatadas pelos policiais civis. As apurações, conduzidas pelo GARCIF (geral, de Itabuna e de Feira de Santana), pela 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior e pela Delegacia Territorial de Jequié, prosseguiram, resultando na desarticulação da quadrilha na terça-feira.

Reconhecidos através de fotografias apresentadas às vítimas, como autores do sequestro, o ex-presidiário, os filhos Carlos Alberto e Rodrigo e Gilvanete foram interrogados na DT de Jequié. Eles declararam ter decidido libertar os reféns por sentirem-se intimidados pelos policiais. A operação para captura dos bandidos começou logo após vizinhos do gerente informarem à polícia sobre uma movimentação estranha na residência.

A polícia apurou que o bando também é responsável pelos ataques às agências bancárias das cidades de Baixa Grande e Belmonte, quando utilizaram o mesmo modus operandi, sequestrando o gerente e familiares. As investigações para a prisão da quadrilha de Carlos Pauferro foram iniciadas pela 1ª Coorpin (Feira de Santana). Outras duas pessoas são suspeitas de participarem da quadrilha..

GARCIF
Criado este ano pela Polícia Civil, o Grupo Avançado de Repressão a Crimes contra Instituições Financeiras (GARCIF) tem como missão prevenir e reprimir os roubos a bancos, a partir da identificação de quadrilhas e suas áreas de atuação. Seis bases operacionais do GARCIF já funcionam nos municípios de Juazeiro, Itabuna, Vitória da Conquista, Itaberaba, Barreiras e Feira de Santana.

De acordo com o coordenador geral do GARCIF, delegado Adailton Adan, 29 quadrilhas já foram desarticuladas este ano no estado, e 123 pessoas presas. Aconteceram 29 assaltos a bancos, um deles frustrado e mais nove casos de extorsão mediante sequestro e dez tentativas deste mesmo crime.

Foram registradas este ano 116 investidas contra instituições financeiras no estado. Em 76 delas os bandidos obtiveram êxito. Em 46 destas investidas houve uso de maçarico, tendo os ladrões obtido êxito em 28. Também foram registradas 22 ocorrências com uso de explosivos, em 11 delas os criminosos alcançaram o objetivo.

As informações dão da Secretaria de Segurança da Bahia.

6 comentários:

Anônimo disse...

antigos moradores do conjunto jomafa... é foda RODRIGO COM CARA DE LERDAÃO. PAGANDO NA VIDA DO CRIME... QUEM VER CARA NAO VER CORAÇAO...AGORA TA PRESO

Anônimo disse...

Essa galera todo morava no conjunto Feira VII aqui em Feira de Santana!

Anônimo disse...

Ridiculo isso! Um pai botando os filhos na vida do crime! Rodrigo, se fazendo de doido, carinha de lerdo e ate com fama de gay...pura mentira! Tava foi no meio da bandidagem...

Anônimo disse...

RODRIGO MACIEL PAUFERRO, SERVIU O 35ºBI EM FEIRA DE SANTANA EM 2007 INFELISMENTE O EXERCITO NÃO FAZ UMA TRIAGEM INVESTIGATIVA DOS RECRUTAS E ACABA DANDO DE GRAÇA INSTRUÇÕES MILITARES A BANDIDOS.

Anônimo disse...

e o povo diz q no jomafa ñ tem ladrão
ai a prova e tem muito homicida incubado ai

Anônimo disse...

É isso estava conhecendo ele. Ele morava no Jomafa estudou no Reitor ou foi no Eraldo, carinha de lerdo, ninguem dava nada!! Pagando no mundo do crime!