quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Assaltantes mortos em troca de tiros iriam assaltar bancos em Jequié



Investigadores da Polícia Civil suspeitam que os seis assaltantes que morreram em troca de tiros com policiais civis e militares, iriam assaltar agencias bancarias no município de Jequié. Já que um dos bandidos quando estava sendo socorrido para o Hospital Geral Cleriston Andrade, mesmo agonizando afirmou que iriam assaltar bancos em Jequié.


O caso
Na madrugada de quarta-feira (29), por volta de 4 horas, seis assaltantes de bancos fortemente armados com fuzis e metralhadoras morreram em troca de tiros com policiais militares e civis de Feira de Santana. O tiroteio aconteceu na localidade conhecida como Tanquinho, Distrito de Humildes, nas proximidades dos fundos do Parque de Exposição João Martins da Silva. Três dos assaltantes foram identificados como: Everton Inácio da silva, João Ricardo de Souza Cavalcante e Francisco Assis Santos Canário, os outros três ainda não foram identificados.



Com os assaltantes os policiais encontraram três fuzis, dentre deles um AR 15, uma metralhadora, coletes a prova de balas e farta munição. Além de dois veículos, um VW Gol, placa MOI-4612, licença de Guarabira (PB) e um GM Montana, placa MOW-32l5, licença de Campina Grande (PB).



Segundo o policial Ivan Andrade, do Pelotão Tático Móvel, tudo começou após uma guarnição do Tático suspeitar de três veículos (um GM Montana, um Fiat Brava e um VW Gol), com aproximadamente 15 homens distribuídos nos respectivos veículos entrarem na cidade. “Imediatamente, a guarnição solicitou reforço. Uma equipe da Polícia Civil e seis guarnições da PM passaram a monitorar todo o Centro da cidade”, informou Ivan.
Ainda de acordo com o policial, duas guarnições do Tático e uma equipe da Polícia Civil avistaram os veículos nas proximidades da Presidente Dutra, no sentido Salvador. “Passamos a acompanhar os veículos a certa distância. Os mesmos seguiram pela BR 324, no sentido Feira/Salvador. Chegando às proximidades do Parque de Exposição, fizeram o retorno e seguiram pelos fundos do parque (Tanquinho).
Quando se aproximaram de duas vias, os veículos dos bandidos se separaram, aí nós seguimos os veículos Montana e Gol. Poucos metros depois, os bandidos pararam os veículos e desceram empunhando as armas e deflagrando tiros contra nossa guarnição. Só não morremos porque fomos ágeis e, quando percebemos que iriam parar os veículos, imediatamente, desembarcamos das viaturas e então aconteceu a troca de tiros”, explicou o agente do Pelotão.
Os seis bandidos foram baleados e socorridos para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), mas não resistiram e morreram. Aproximadamente oito homens conseguiram fugir, sendo que cinco no veículo Brava e três fugiram pelo matagal.







Um comentário:

Anônimo disse...

Todos com marcas de execução sumária.